sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Mais um ex-libris


É este o terceiro ex-libris que, por aqui, se apresenta com destaque. Anteriormente, nos ocupámos dos de Aquilino Ribeiro e Georges Simenon, de forma casual.
Franz Paul de Almeida Langhans (1908-1973?), historiador e heraldista, foi personagem secundário do anterior regime. Filho de mãe portuguesa e pai de origem alemã, chegou a ser secretário particular de Salazar, de 1951 a 1961, cargo que abandonou para integrar os quadros superiores da Fundação Gulbenkian. A sua obra mais conhecida é, talvez, Casa dos vinte e quatro... (1948), que teve prefácio de Marcelo Caetano.
O livrinho, que ostenta o barroco ex-libris de Langhans, é uma magnífica antologia (Oxford University Press, 1956) do plurifacetado escritor inglês G. K. Chesterton, feita pelo galês D. B. Wyndham Lewis (1891-1969), que também assina um documentado prefácio.

Os melhores agradecimentos a H. N..


5 comentários:

  1. E porque terá Langhans escolhido São Cristóvão para o ex-libris? Pela viagem?

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Não creio que seja S. Cristóvão. Julgo que é S. Francisco de Paula, santo onomástico.
      Bom dia!

      Eliminar
  3. Anh!... A minha ignorância é total; não acerto uma nos santos. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acontece...
      Mas também não é uma coisa essencial..:-)

      Eliminar