sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Dia Mundial da Fotografia

Será sempre injusto citar um em detrimento de outros fotógrafos que enobreceram a sua arte, hoje, em que se comemora o dia da fotografia. Mas esquecer "O Beijo" (1950), de Robert Doisneau (1912-1994), seria imperdoável, embora digam que o instantâneo teria sido encenado.



Como também preparada terá sido, segundo a lenda que corre, a fotografia da morte do republicano espanhol combatente, tirada por Robert Capa (1913-1954), durante a Guerra Civil. Emblemáticos são os retratos que o cubano Alberto Korda (1928-2001) tirou a Che Guevara, um dos quais viria a servir de base a tantos posters. Mas também nele há pose...

Naturalmente realista e não encenada, mas muito menos conhecida, é, porém, a foto tirada pelo médico e jornalista columbiano Reginaldo Ustariz Arze, a Che Guevara, na sua mesa de morte, que aqui reproduzo. 

Às visitas do Arpose, lanço o desafio de escolherem, mesmo que silenciosamente para si, a(s) sua(s) fotografia(s) preferida(s). Será apenas uma questão de exercitar, a preto e branco, a memória visual...

12 comentários:

  1. Apenas posso dizer, que a última imagem é
    para mim, uma memória chocante.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo-a. Mas, fatalmente, é uma recordação magnífica.
      Muito obrigado. Retribuo, cordialmente.

      Eliminar
  2. Das que aqui estão, prefiro, sem dúvida a primeira. É a mais bonita.

    Gosto das fotos a preto e branco.

    Boa noite:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu desafio era à memória pessoal de cada um e não obrigatoriamente a estas três - que é um universo muito reduzido..:-)
      O preto e branco tem outra nobreza e uma maior concentração estética, sem dúvida.
      Bom fim-de-semana!

      Eliminar
    2. Também por isso (memória pessoal).

      Eliminar
    3. ...ou a falta dela, por assim dizer.

      Eliminar
  3. Também achei impressionante a última fotografia de Che Guevara. E não sei que fotografia escolheria, mas fiquei a pensar nisso. Bom Sábado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente. Há por ali a tranquilidade de um esboço de sorriso que lembra a Mona Lisa, de Da Vinci...
      Bom fim-de-semana!

      Eliminar
  4. Tive um poster do Che Guevara imensos anos no meu quarto ao lado do autorretrato de Dürer. :) Mas não era nenhuma destas fotos. Se o encontrar na net postá-lo-ei no Prosimetron.
    A do Che morto, lembro-me muito bem desta e de ouras da mesma ocasião.
    Bom dia!

    E escolherei as minhas fotos preeridas.

    ResponderEliminar
  5. A minha paixão pelo Dürer permanece. Ainda há uns dias o fui visitar ao MNAA. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dürer também é comigo..:-)
      Quanto ao Che, as imagens dele morto ficaram-me na memória visual. A mais frequente era de corpo inteiro, creio que a tenho também no Arpose.
      Boa escolha, entretanto!...

      Eliminar