sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Idiotismos 32


O seu uso inicial é atribuído ao poeta Virgílio (70 a.C.-19 a.C.) e, em bom rigor, sendo um latinismo, a frase não se poderá considerar um idiotismo, mas as suas versões, para língua portuguesa, já o poderão ser. E acontece que a usei, ontem, em comentário, num blogue amigo (Prosimetrom). Vindo-me à tona da memória, pus-me a reflectir sobre ela.
Da frase, travei conhecimento com ela, pelo meu sexto ano do Liceu. Ei-la: Hoc opus, hic labor est. Pode entender-se, portuguêsmente, pelo menos, de duas ou três maneiras. Em versão erudita, diríamos: Aqui é que está o busílis; ou, Eis a dificuldade, de forma abreviada. Se preferirmos a tradução vulgar: Aqui é que a porca torce o rabo - que é o modo mais habitual de ser usada.
Como veio a porca parar a esta versão, é que eu não sei - hoc opus, hic labor est!...

2 comentários:

  1. Torce o rabo, mas não pára o tempo. :)
    Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Caríssima MR..:-) E, portanto, assim:
      Boa tarde!

      Eliminar