sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Sobre as canetas e outras formas de escrita


Nunca desprezei os lápis, mas para escritas mais singulares, de circunstância ou nobres, sempre escrevi com caneta que, nessas alturas, me parece imprescindível. Embora, no dia a dia, não seja esquisito e me baste uma qualquer esferográfica, para garatujar umas linhas. Confesso, no entanto, uma vulnerabilidade ou inconstância antiga e enraizada: há vezes em que gosto de escrita fina, outras, em que os traços me apetecem grossos - ninguém é perfeito.
Ora, sobre canetas, eu nunca vi nada tão bonito como este livro, de Judith Miller, que me ofereceram, há dias, e que ando a saborear com grande gosto.

com renovados agradecimentos ao ofertante e Amigo.

6 comentários:

  1. Que belo presente! Também gosto muito de canetas.
    Boa noite!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O livro tem uma selecção muitíssimo bem feita, de marcas e modelos.
      Bom dia!

      Eliminar
  2. Eu tb gosto de canetas, mas não gosto de aparos finos.
    Boa tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso"..:-)
      Bom Domingo!

      Eliminar
  3. Eu sou fã de BIC cristal, permite-me uma escrita normal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou um pouco mais "caprichoso" e volúvel..:-)

      Eliminar