sábado, 21 de junho de 2014

Bibliofilia 103


Tenho ideia que, presentemente, não existe em publicação nenhuma revista literária, naquele sentido específico que se lhes dava no decurso do século XX. E creio que o seu período áureo se poderá situar entre os anos 40 e 70. Algumas dessas publicações periódicas, que acabavam por ser quase sempre de saída irregular, fizeram carreira, tinham qualidade, e muitas delas são de grande procura e raridade.
De os denominados Cadernos de Poesia, inicialmente coordenados por Tomaz Kim, Blanc de Portugal e Ruy Cinatti, saíram 15 números. Cinco na primeira série e, a partir de 1951, foram editados mais 10. A colecção completa  é difícil de encontrar e é cara. A colaboração é de nomes significativos, para além dos coordenadores. Há poemas e textos de Nemésio, Sena, Gaspar Simões, Sophia...
Embora com imensos picos de humidade, na capa, tive a grata oportunidade, recentemente, de adquirir o primeiro número (na imagem), apenas, dos  Cadernos... . O folheto (20 páginas) custou-me 12 euros.

5 comentários:

  1. Assim, de repente, lembro-me, pelo menos, da Relâmpago, revista dedicada à poesia.

    ResponderEliminar
  2. Bem lembrado! Julgo que é da Fundação (?) Miguel Nava e dirigida por Gastão Cruz...

    ResponderEliminar
  3. Tendo em conta que é o número um, pareceu-me muito muito em conta...não é?

    Não conheço essa revista de que falam, a Relâmpago...já vou ver se descubro alguma coisa na Net.

    Boa noite :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi realmente um bom preço, e justo, mas também é verdade que, neste alfarrabista, sou sempre muito bem tratado..:-)
      Bom dia!

      Eliminar