sexta-feira, 19 de setembro de 2014

O não


Devo confessar que fiquei mais descansado. Porque, desde há dias, me perguntava, angustiado, se a Escócia se tornasse independente, o que seria feito de Balmoral. E só encontrava uma saída airosa para esse grande problema: transformar esse Estate régio num novo Vaticano. Com a papisa Isabel à frente da pequena vila-estado, que o falecido príncipe Albert tinha comprado, em 1852, para a sua querida Victoria.
Felizmente que ganharam as tias...

5 comentários:

  1. Ainda bem que ganhou o NÃO, mas esperemos que a Inglaterra olhe com outros olhos para a Escócia e para o País de Gales e não pense que está a gastar o seu dinheirinho com aquelas regiões. E vê-se uma grande diferença quando se passam aquelas 'fronteiras'...

    ResponderEliminar
  2. Os 6% de diferença não dão para grandes euforias...
    Oxalá os ingleses aprendam a lição e tenham juizinho. E mais solidariedade.

    ResponderEliminar
  3. Examente.
    E o estúpido do Cameron que anda sempre a ameaçar a União Europeia esteve quase a comer o seu próprio veneno.

    ResponderEliminar
  4. E o que teria acontecido ao duque de Edimburgo? :-)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Filipe seria reformado compulsivamente..:-))

      Eliminar