domingo, 30 de abril de 2017

Discrepâncias e rectificações


Seja das alterações climáticas, do acaso metereológico ou dos desígnios caprichosos dos deuses, o facto é que este mês, que hoje termina, não fez jus ao seu célebre provérbio antigo: Em Abril, águas mil. Apesar da chuva nocturna que se prolongou, um pouco, ainda a manhã ia tenra. Mas foi só. Temem os agentes agrícolas, iniciaram-se já os fogos florestais e as barragens apresentam-se vazias ou quase. A escassez de água ameaça o futuro mais próximo, em Portugal.
É caso para dizer, rectificando: Em Abril, águas por um funil!

8 comentários:

  1. Não consigo entender como as pessoas acham este tempo
    muito bom, por haver sol e não chover. A água é fonte
    de vida e não chover é mau, mesmo muito mau, penso eu.
    Alguns ditados antigos, deixaram de fazer sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há um lado urbano de insensibilidade que colide com quem vive da terra.
      Só a subida de preço dos produtos agrícolas, pela seca, poderá alertar os citadinos para a realidade...

      Eliminar
  2. Andei por aqui a por a leitura em dia...

    Desejo-lhe um bom feriado:)

    ResponderEliminar
  3. E fez muito bem!..:-)
    Agradeço, e espero tenha tido algum proveito.
    Retribuo, cordialmente, os seus votos.

    ResponderEliminar
  4. Embora lhe tenha grande amor, não tiro sustento directo dos produtos da terra. Mas confrange-me pensar e ver os resultados da falta de chuva. Penso nos animais sem pastagem, nas plantes exangues e mortas, na terra que não dessedentou e vai ter de aguentar o braseiro de mais um estio de inferno. E só depois disto me preocupa a carestia de vida, o preço das forragens, o lucro esperto de quem aproveita para crescer com o mal dos outros.
    E a água do mar que tanto me tonifica a alma, surge-me, assim à distância, quase remorso, um bem imerecido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, quase inteiramente.
      Bom 1º de Maio!

      Eliminar
  5. Há uma coisa que interessa (e muito) aos citadinos: as barragens estão no geral a menos de 40% da sua capacidade e do Tejo para sul a menos de 30%. Quer isto dizer que o Verão não vai ser muito feliz...
    Resto de bom 1.º de Maio para todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Asperspectivas, realmente, não são optimistas...
      Igualmente!

      Eliminar