sábado, 18 de fevereiro de 2017

Apontamento 96: Civilidade


[Civilidade, i.e. conjunto de formalidades, observadas pelos cidadãos entre si, quando bem educados]

A ausência de regras mínimas de respeito e educação tem obrigado, infelizmente, a soluções legais questionáveis. O gesto, de respeito básico civilizado, de pedir licença, deixar passar a quem mais precisa, parece já da esfera do Código do Procedimento Administrativo, quando a instrução básica falha.

Tentar atribuir a responsabilidade deste predomínio dos “feios, porcos e maus” sobre uma convivência civilizada, assente num respeito mútuo, matizado pela idade, pelo interesse cultural, social e vivencial, a uma falha do sistema educativo já não me parece razoável, há muito tempo.

Os ventos contrários da chamada educação formal, organizaram-se, há muito, e cada vez se impõem com mais força. Só não percebe aquele que não quer ver a intenção final.

O caos, em qualquer país, provocado por uns “bites jornalísticos de momento”, interessa sobretudo àqueles que não estimam a Humanidade nem o pensamento autónomo.


[E, para bom entendedor, não digo mais sobre “cidadões”, vizinhos, turistas, hordas futebolistas completamente desprovidos de noções mínimas de civilidade.]

Post de HMJ

4 comentários:

  1. Não antejo a intenção final, mas a falta de civismo reiterada, o sistemático não pensar em quem nos rodeia, incomoda um bocado. Afinal, se todos temos direito a errar, ninguém tem direito a errar tanta vez. Quando a proporção do erro o banaliza, mal vai a sociedade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para bea:
      a intenção final era clamar - no deserto - contra tanta falta de educação, civismo e boçalidade.

      Eliminar
  2. O que me deixa perplexo é a falta de educação se estender a todos os âmbitos da sociedade. Por vezes até parece que vivemos no far-west. Tenho a sensação que neste século xxi o universo está a regredir.
    Muito bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para Mister Vertigo:
      É pena, mas tem razão.

      Eliminar