sexta-feira, 19 de maio de 2017

Centrão, revisitado


Ontem à noite, na RTP3, após a notícia do nosso PR, em visita à Croácia, ter admitido a hipótese de Portugal vir a crescer cerca de 3,2%, assisti a um diálogo surreal, moderado inteligentemente por Ana Lourenço, entre Marçal Grilo (ex-ministro da Educação de um governo PS) e Nobre Guedes (um ex-ministro do Ambiente, indicado pelo CDS, num governo do PSD).


Pareciam travestis ou hermafroditas políticos. Marçal Grilo, com aquela sua voz de abade beirão, de quem ainda tem sopa de feijões na boca, ao falar, defendia fervorosamente as anteriores reformas do governo de Passos Coelho, que teriam permitido os sucessos do actual governo. E Nobre Guedes, com aquele seu ar ligeiro, fluente, da linha de Cascais, em tom azul cueca (não estranhem, até há um blogue luso com este lindo nome, na Net!...), re-clamava e aplaudia, com grande desportivismo, os resultados económicos presentemente alcançados e previstos, do governo de António Costa.



Fiquei varado. Teriam trocado de camisola? - perguntei-me eu, confundido e perturbado, por estas criaturas tão bem falantes e assertivas, na sua pureza de comentadores.
Caí em mim. Não, com certeza: são os fantasmas do Centrão a funcionar, no seu melhor registo mercenário e permissivo, tentando conservar e assegurar as suas mordomias. 
Ainda bem que, temporariamente pelo menos, nos livrámos deles. Irra!

4 comentários:

  1. Não ouvi. como habitualmente nunca oiço personagens
    a falar de política. Mas uma coisa posso afirmar
    achei imensa graça às suas observações. Hermafroditas
    políticos está muito bem imaginado. Não ter noção do
    ridículo é triste mesmo muito triste. Mas eles não
    se apercebem, coitados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz muito bem, e não perde nada com isso. Embora eu faça uma grande filtragem, ainda gasto (mal) algum do meu tempo...
      E este foi um péssimo "espectáculo", a que assisti.

      Eliminar