domingo, 10 de junho de 2018

Passeios 7: Impressões da Invicta


Embora julgando ter um razoável sentido de orientação no espaço, há cidades portuguesas que me enervam e nas quais evito conduzir. Uma delas é o Porto. Saindo da Avenida da Boavista, tudo se complica.

Com efeito, depois da chegada arrumei o carro numa garagem de amigos e passei a usar o “andante” ou as próprias “patinhas”.

Da zona da Foz, reproduzida acima, apanhei a carreira 207. Uma maravilha ! Foram 40 minutos bem passados, podendo observar do pobre ao rico, num giro pela cidade sem a ansiedade do trânsito. Apreciei tudo, até as “mulheres da vida”, a secar umas “leggings” num banco do Jardim de S. Lázaro após uma carga de água, que também apanhei a caminho da Biblioteca Pública.

De tarde, e com o tempo melhor, ainda deu para descer a Rua de Diu, olhando para o edificado e o Mar ao fundo.


É sempre com enorme gosto que caminho por certas zonas da Invicta, olhando para casas e “casinhas” tão diferentes do Sul. Parece tudo mais “mossiço”, janelas e portas com madeiras maciças e que casam com pormenores de acabamento que encantam.

Resulta, no entanto, dessa junção, certamente ditada pelo tempo e o uso, um objecto sólido que não dispensa o encanto da beleza.


Post de HMJ, dedicado a I.A.M e A.A.M

8 comentários:

  1. Gostei muito destas impressões portuenses.
    O Porto é na minha opinião uma cidade muito
    bonita. E a melhor opção para sentir a cidade
    são os transportes públicos, autocarros e eléctricos.
    O rio quase sempre à vista. Boa estadia é o meu voto
    sincero. E deu-me uma vontade imensa de lá voltar.
    Não sei...
    Foi um prazer para mim, este poste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para Maria Franco:
      Ainda bem que o texto lhe proporcionou um passeio virtual.

      Eliminar
  2. Também como a MARIA FRANCO, também apreciei a sua postarem relativa ao
    PORTO MEU !
    E se esse passeio foi hoje ( Domingo ), eu estava a almoçar no Restaurante Praia da Luz
    ( que recomendo pela qualidade e pela localização ), onde muitos turistas estrangeiros estavam deliciados sentados na esplanada do bar !
    A casa dos azulejos verdes é na Rua de Diu ?

    Grande abraço e obrigado pelo que deixa aqui escrito sobre as suas impressões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para João Menéres:
      Já cá estamos no Sul. O passeio foi no dia 4 e a casa fica do lado direito da Rua de Diu, quem desce para o mar. Ainda bem que gostou e agradeço a indicação do restaurante. Fica para uma próxima !

      Eliminar
  3. Passo lá frequentes vezes de carro. Habitualmente olho para as do outro lado onde mora um amigo, mas pela inclinação da rua palpitou.me que era lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para João Menéres:
      Tanto de um lado como do outro há casas que são pequenas jóias.

      Eliminar
  4. Essa casa faz parte das minhas memórias visuais das férias em miúda. Dos passeios a pé que o meu pai nos obrigava a fazer por lá em tempo de férias na casa dos tios em Leça da Palmeira. Leça também vale a pena :-)
    Bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para Paula Lima:
      Pois, não houve tempo para mais.

      Eliminar