quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Pinacoteca Pessoal 128


Dele nos diz Manuel Telles da Silva, no seu Vida e Feitos de D. João II, que: "Foi de estatura um pouco elevada e de corpo delgado até à adolescência, mas depois obeso; o rosto comprido e formoso, entre o branco e o corado; os olhos negros e agradáveis, mas, quando se irava, raiavam-se de sangue e incutiam temor; o nariz de justa medida. Os cabelos eram densos e arruivados, e, embora tivessem embranquecido precocemente, não deixou arrancar as cãs."



Tiveram vida breve os dois filhos de D. Afonso V (1432-1481). Se D. João II (1455-1495) ultrapassou em pouco mais de 5 meses, os 40 anos, sua irmã mais velha, princesa Sta. Joana (1452-1490), finou-se com 38, em Aveiro. Da iconografia existente verifica-se uma parecença física notável. A boca, o rosto alongado e provavelmente a cor dos cabelos, para além dos olhos. Mas também a obstinação de carácter os irmanava. D. Joana na recusa em casar-se, D. João II na forma desapiedada e firme com que consolidou o seu poder pessoal e régio.
O retrato da Princesa, considerado da escola de Nuno Gonçalves, é um dos ex-libris do Museu de Aveiro, homónimo. Em Sevilha, na Fundação da Casa Ducal de Medinacelli, está o retrato de D. João II, cópia de um retrato perdido do Príncipe Perfeito, pintado talvez em 1490, de autor desconhecido.

8 comentários:

  1. O meu rei preferido. :) E gosto bastante deste retrato da Princesa Santa Joana.
    Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos de acordo quanto ao rei preferido.
      Quanto ao retrato, devo vê-lo amanhã, ao vivo..:-)
      Bom dia!

      Eliminar
  2. Gostei muito deste post e aprecio o retrato de Santa Joana. Boa tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um retrato muito interessante, na verdade.
      Obrigado, Margarida.
      Boa tarde!

      Eliminar
  3. Do Museu de Aveiro tenho uma recordação dramática. Foi quando o
    visitava calmamente, que o meu companheiro teve a primeira ameaça
    de ataque cardíaco. Transportado de imediato para Coimbra foi operado,
    mas passados poucos meses subitamente, o coração parou para sempre.
    Recordações tristes. Peço desculpa deste desabafo, mas é sempre um
    espinho que surge quando alguma coisa o faz recordar no espaço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este tipo de associações são terríveis, porque nunca mais esquecem.
      Lamento ter-lhe avivado a recordação.
      Uma boa noite.

      Eliminar