quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Divagações 116


É o anoitecer que colhe, o mais das vezes, a preferência do viandante. Seja sobre o Adriático ou sobre o Tejo, essa nostálgica despedida do olhar, que a memória quer trazer por sobre as águas.
Depois, o enquadramento dará algumas pistas sobre quem esteve por trás: o movimento fixado, as coisas, a ordem ou a desarrumação, a quietude que se pretendia para a noite a começar.
Ao amanhecer, não se peça uma opção definida e clara. Em todo o caso, podemos sempre convocar Turner...

4 comentários:

  1. Também há amanheceres fantásticos só que normalmente as pessoas estão a dormir. Há um 'famoso' em S. Miguel, nos Açores, parece-me que no Nordeste da ilha. Quando lá fui quis ir, mas não tive companhia. Tinha que se ir bastante cedo e com cobertor.
    Eu também gosto do pôr-do-sol que, muitas vezes, nos traz cores inimagináveis.
    Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meio, realmente, é que não tem história..:-)
      Tenho 3 ou 4 amanheceres inesquecíveis, nem todos à beira de água, que os entardeceres acabam por ser vulgares, e muitos.
      Bom dia!

      Eliminar
  2. Gostei desta divagação.
    Trouxe memórias e...saudades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teve, assim, a sua utilidade..:-)
      Boa noite!

      Eliminar