segunda-feira, 2 de julho de 2018

O Porto que se cuide!...


O improvável acontece e eu nem queria acreditar. Mas, como ouvi a nova pela boca do sério  e probo jornalista Joaquim Letria, faço fé absoluta nas suas palavras.
Então não é que roubaram, do Jardim Botânico do Porto, o busto de Sophia Andresen (1919-2004), que lá tinha sido colocado em 2011? Não satisfeitos com a proeza e impunidade, voltaram lá e levaram também o busto de Ruben A. (1920-1975). Ficaram os pedestais...

Amantes de literatura, os aficionados? Não creio. Talvez amor ao metal...
E o sr. Moreira já terá dado por isso?

17 comentários:

  1. Mais do que qualquer outro sentimento, sinto revolta por estas atitudes em que desrespeitam o que é de todos!

    Há gente para tudo!

    Uma boa noite:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Naturalmente, todos ficamos indignados.
      Bom dia.

      Eliminar
  2. Se é o Joaquim Letria que diz, deve ser verdade.

    ResponderEliminar
  3. Há pouco tempo, constatei que o busto do Ruben A não estava.
    Como a casa estava em obras no exterior, não estranhei.
    Seria por precaução, pensei.

    O da Sophia confesso que na altura não verifiquei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Admira-me é que os vândalos não tenham sido surpreendidos. Porque os bustos ainda ocupariam algum volume...

      Eliminar
    2. Passei lá ontem de carro.
      As obras estão no jardim.
      Haja esperança !

      Eliminar
  4. Incrível! É pelo metal. Atrás da Igreja Sâo João de Brito também roubaram um, já não seis e de João de Deus Ramos... E no Campo Grande também era uma roubalheira. Letras de metal e maçanetas de portas é um horror...
    Têm de arranjar um modo de os incrustar bem na pedra, não pode ser com aqueles quatro ganchinhos.
    O busto da Sophia até é engraçado.
    Bom dia!

    ResponderEliminar
  5. Vendo melhor o busto estava agarrado só por um palito de metal no meio. :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A "actividade" e moda chegou cá tarde..:-( É o que vale sermos um país de periferia. Na Alemanha, até serravam as estátuas pelos pés, para levarem o metal (poste do Arpose de 31/1/2013: "Os novos bárbaros", da HMJ).
      Bom dia.

      Eliminar
  6. Subscrevo na totalidade o comentário da Isabel.
    Desejo-lhe uma boa tarde.

    ResponderEliminar
  7. Pode ser que amanhã eu tenha oportunidade de ser esclarecido...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostaria de saber novidades. Se forem boas...

      Eliminar