quinta-feira, 23 de março de 2017

Aquiliniana, sobre batatas


Rudimentar, mas sábia e talvez útil, esta informação agrícola colhida em Aquilino Ribeiro (1885-1963), no seu Cinco Réis de Gente (1948), assim:

"- Como se obtêm essas batatas, ó abade? Por intercessão dos santos... ou que milagre é este?
- Não é milagre, meu ilustre amigo. Qualquer pecador da serra tem esta regalia.
- Pois olhe, eu na quinta, apesar de todos os adubos, não consigo nada que se pareça.
- Não consegue, não. São privativas deste solo pobrinho. O segredo está nos três quindins: terra granita, água granita, e caganita, com perdão de Vossa Excelência."

14 comentários:

  1. Ao ler estas palavras do Aquilino percebi como é urgente para mim ler este escritor, cuja obra se encontra na Biblioteca da Princesa aqui de casa.
    Muito boa tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se me permite uma sugestão, não perca "A Casa Grande de Romarigães", cujas prmeiras páginas, com a descrição do nascimento da floresta, são uma obra-prima.
      Retribuo os votos, cordialmente.

      Eliminar
    2. Muito obrigado pela sugestão, será primeiro a ser lido, mora aqui na Biblioteca:)
      Muito boa tarde!

      Eliminar
    3. Foi um gosto..:-)
      Bom fim-de-semana!

      Eliminar
  2. É autêntica anedota. Acho eu que Aquilino devia ser uma pessoa bastante directa mas também bem disposta. É um grande escritor de que ainda não li tudo que gostava.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ironia e humor não faltavam a Aquilino, nem mundo. Um "parente" de Camilo, menos prolífico, embora, mas mais cosmpolita.

      Eliminar
  3. Li há uns anos, já não me lembrava da 'receita', mas acredito que resulte. Os lavradores mais velhotes, lá da terra, para além de usar o estrume recolhido nas cortes aproveitam e não usam a casa de banho, vão aos campos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já Lavoisier dizia, sabiamente, que nada se perde, na Natureza, tudo se transforma..:-)
      Votos de um bom fim-de-semana.

      Eliminar